Terça , 20 de Fevereiro de 2018
 
Coluna de Claudomiro Bispo
 

Os efeitos negativos e positivos da internet nas eleies de tres de outubro passado

A velocidade da internet no mundo e a rapidez que a notícia chega ao alcance de todos os seguimentos, no Brasil, está longe de uma lei que regule o que pode e o que não pode ser divulgado na internet. Jornalistas e não jornalistas têm à disposição um veículo de comunicação de infinita extensão para escreverem o que deve e o que não deve, sem que haja, por parte da justiça brasileira uma legislação abrangente para regulamentar o uso da internet, no sentido de coibir estragos causados pela mídia eletrônica na vida de terceiros. Na mesma linha de conduta, vêm os blogs, twiters, sites etc. que jornalistas e não jornalistas utilizam como ferramenta de trabalho no dia-a-dia da vida moderna.

A internet veio e veio para ficar. O uso dela está ao alcance de todos. Quem não possui um computador, um terminal telefônico interligado a rede de internet, tem também à sua disposição em qualquer esquina da cidade, uma Lan house equipada dos instrumentos necessários para navegar e fazer comunicação para qualquer parte do planeta. No mundo moderno de hoje, com o avanço da tecnologia o telefone e a internet andam juntos e a velocidade que esses dois equipamentos expressam, deixam o mundo pequeno.

Os ganhos e benefícios produzidos pela internet no mundo inteiro são maiores do que os malefícios utilizados de forma maldosa por este meio de comunicação. Apesar, da importância da mídia tradicional: impressa, falada e televisada, a internet chega mais rápido e em tempo real, através de aparelhos de celulares, computadores etc. contestando e mascarando informações parciais que escondem fatos e realidades acontecidos mundo a fora.

Para ilustrar a parcialidade nas informações internacionais, citamos um caso entre palestinos e israelenses no Oriente Médio: uma rede de televisão brasileira transmitindo uma ocorrência briguenta entre Israelenses e Palestinos na Faixa de Gaza: um tanque de guerra invadia o território Palestino, um garoto de 10 anos, apanhou uma pedra e jogou em direção do tal equipamento. O comentarista brasileiro mostrou a imagem do menino e no final da reportagem dissera que ali estava o futuro terrorista. Na outra ponta, palestinos enviavam para várias partes do mundo através de aparelhos de celulares, imagens e mensagens sobre o mesmo assunto, classificando o menino como o herói do futuro pelo sentimento nativista.

Pedofilia na internet

Graças o advento da internet, a polícia já colocou atrás das grades dezenas de pessoas acusadas de abusarem sexualmente de crianças e adolescentes em todo Brasil e a internet é um dos instrumentos utilizados pelos pedófilos como métodos de satisfação dos seus instintos de prazeres doentios. As vítimas, geralmente, são atraídas com promessas de presentes, na maioria das vezes por pessoas mais velhas e de poder aquisitivo. A igreja católica ultimamente, tem sido alvo de denúncias contra os padres, bispos, a cima de qualquer suspeita que fossem pegos com a boca na botija e outros chegaram até confessar o crime praticado contra crianças e adolescentes. Autoridades de diversos setores até mesmo da polícia, da política, empresarial, artístico pessoas comuns e outros, na prática de pedofilia contra  crianças e adolescente, crime considerado hediondo.

A internet nas eleições de 2010

A partir de um projeto de iniciativa popular, com assinaturas de milhões de brasileiros enviadas para a Câmara dos Deputados, que ganhou o nome de “Ficha Limpa” aprovado nas duas casas do Congresso Nacional, sancionado pelo presidente Lula, porém, eivado de dúvidas jurídicas, mas o TSE considerou condições válidas para as eleições de 2010, entretanto, uma enxurrada de contestação foi parar no STF e os ministros da corte superior do país, preferiram promover um empate, tiraram da (...), e deixaram para os eleitores resolver esta questão, no voto.

Daí para cá, listas e mais listas circularam pela internet nominando os políticos “Ficha Suja”, ou seja, aqueles que meteram a “mão” no dinheiro publico em benefício próprio e ou cometeram desvios de condutas administrativas em cargos de direção na administração pública. O Brasil inteiro trocou “figurinhas” para que o eleitorado brasileiro tomasse conhecimento quem são os políticos marreteiros do bem público e impedir através do voto, que esses maus políticos retornassem  à casa do povo nas eleições de três de outubro próximo passado. Após os resultados das unas, alguns maledicentes não retornaram, porém, outros espetinhos passaram tranqüilos pelo crivo eleitoral a exemplo do ex-governador do distrito federal, Joaquim Roriz, que renunciou, mas colocou sua mulher em seu lugar. Foi por isso, que o povo ficou “Tiririca” da vida e mandou para o Congresso Nacional, um palhaço de verdade.

Elite brasileira

A chamada elite brasileira, que detém parte da grande imprensa do Brasil, entrou em campo e através da internet, inclusive, assuntos passados que envolviam partidos e candidatos objetivando levar a eleição de presidente para o segundo turno e o caminho mais próximo era investir na “onda verde” apostando no crescimento da candidatura de Marina, sempre ovacionada pela sua postura de candidata alternativa. Deu certo. A simplicidade, a simpatia forjada pela mídia em favor de Marina e a pecha colocada contra a Dilma provocada pelo caso “Erenice” consolidou na reta final do segundo turno e onda verde, levou a eleição de presidente para o segundo turno.

A religião na internet

A polêmica sobre o aborto circulou na internet com parcialida à vista. Até a CNBB entrou no jogo com palpite político em favor de partido e candidato. Bispos e padres pelo Brasil afora, fizeram pregação para milhares de fieis, recomendando não votar em candidato tal por defender o aborto e como se não bastasse, além de postar na internet esta parcialidade, encomendou em uma gráfica, a impressão de milhões de panfletos para serem distribuídos entre fies da igreja católica. O caso virou caso de polícia e de justiça. Pegou feio para a CNBB, uma instituição religiosa de credibilidade, transformando-se, em um instrumento partidário em benefício desse ou aquele candidato. A igreja católica deverá apurar com rigor, os desejos pessoais ou individuais em nome da igreja, sob pena de perder a credibilidade dos seus próprios fies.

A internet nas eleições em Candeias

Em Candeias, a internet teve uma participação importante nos resultados das urnas. Sites, blogs e twiters editados por jornalistas e não jornalistas se empenharam na divulgação e distribuição de listas com os nomes de políticos da região com débito com a justiça, mas alguns jornais e emissoras de rádios preocupados em ferir a legislação eleitoral vigente no país, preferiram ignorar esse expediente e seguir a programação normal. Entretanto, na internet a molecada da mídia eletrônica não deu trégua aos políticos que tiveram envolvidos com desvios de condutas administrativas.

As eleições de três de outubro próximo passado, sérviu como um indicador eleitoral para as eleições municipais de 2012, na sucessão da prefeita Maria Maia. Os dois principais grupos políticos da cidade saíram derrotados pelas urnas. O sinal verde apontou para a construção de uma terceira via política/partidária, que seja capaz de atrai a confiança do eleitorado candeiense com um novo perfil político e que faça a diferença sob pena, de prevalecer à continuidade ou o continuísmo respaldado pela força política/partidária já consolidada no município. Pelo visto, o olhar político do governador Jaques Wagner, voltou-se para Candeias, com vistas às eleições municipais de 2012.

 Pelo menos, já deu para entender, que o prefeito de Camaçari, Luiz Caetano é quem vai comandar as ações políticas do governo, para ampliar o leque de prefeitos na Região Metropolitana de Salvador, tendo em vista a expressiva votação obtida pela candidata Luiza Maia nas cidades de Candeias, São Francisco do Conde, Madre de Deus e Dias D’Ávila para deputada estadual. O sargento Isidoro, o vereador Bobó, o professor Jair Cardoso e Marcus Vinícius estão sendo olhados pelo Palácio de Ondina de forma positiva pelos seus desempenhos eleitorais. O sinal verde está aberto, cada um que faça seu trabalho. Vale tudo, só não vale é cada um achar que é o rei da cocada preta.  

 

Publicado em 19/10/2010 ás 22:06

Leia Também
 

 
 
 
Empresa de Editorao de Jornais e Revistas Ltda-Me Todos os Direitos Reservados.
Rua do Pass, n 114, Andar 1, Centro- CEP: 43.805-090
Candeias - BA
Fone: 71- 3601-9220 / 71- 98633-1278 /
Email: folhareconcavo@gmail.com