Terça , 20 de Fevereiro de 2018
 
Coluna de Claudomiro Bispo
 

O sonho de uma terceira fora poltica com jeito de primeira pode estar acabando

O sonho de uma oposição unida nas eleições de 2012, para substituir a mulherada que há quase 20 anos, se reveza no poder municipal, pode estar acabando. Há poucos mais de dois anos, ou melhor, na festa de aniversário de Jair Cardoso, o professor Osvaldo depois de um gole de cerveja, sugeriu uma foto de Jair Cardoso e o vereador Bobó pode ser a dupla ideal para as eleições de 2012. A foto foi feita e publicada na Folha do Recôncavo e ganhou o OK de todos os jornalistas presentes. A dupla até que se interessou pela idéia. A dúvida era quem seria a cabeça de chapa. Um não confiava no outro, portanto, o evento não foi adiante.

Em outra oportunidade, o vereador Jarinho, ofereceu um almoço no restaurante Maria Café, com oito vereadores, na presença da imprensa local, o objetivo era a criação do G – 8. Queria dizer o Grupo dos oito. O pano de fundo seria uma frente suprapartidária para entre os oito, escolher o futuro candidato a prefeito para as eleições de 2012. Mesmo em uma reunião regada a comes & bebes a idéia de Jarinho não vingou, feneceu logo pelo mesmo motivo: cada um se achava o melhor.

No início de 2011, a Folha do recôncavo registrou em sua página política cerca de 20 pré-candidatos visando à cadeira de prefeito do Paço Municipal Conselheiro Luiz Viana Filho nas Eleições de 2012. Na verdade, alguns deles queriam mesmo, era divulgar sua intenção de uma candidatura a vereador, porém, somente, pouco mais de 10 prefeituráveis se mostravam com disposição de enfrentar uma candidatura de prefeito, pelo menos, ficou evidente: Jair Cardoso, vereador Bobó, Georgem Moreira, Marcus Vinícius, deputado Isidoro, Serra Vale, Sargento Francisco, Carlos Alberto, Flávio Pita, Tonha Magalhães e Zé do Quim correndo por fora. De repente, o PT lança a pré-candidatura do Secretário da Fazenda do estado da Bahia, Carlos Martins que pela vasta experiência em cargos públicos exercidos nas hostes federais e estaduais e os descréditos da população com as últimas administrações, Martins caiu como uma luva e mexeu no projeto político-eleitoral de todos os pré-candidatos.

O pré-candidato Marcus Vinícius do PSB, na festa do Congresso Municipal do seu partido, botou a presença da senadora Lídice da Mata, o secretário de Turismo Domingos Leonelli, conseguiu trazer seu colega de partido deputado Isidório e convidou Carlos Martins, do PT, para participar da festa. Os discursos versaram como pauta principal, a união dos pré-candidatos da base aliada do governo Wagner. Todos foram unânimes. Para tomar a prefeitura de Candeias nas mãos dos dois grupos políticos que se revezam no poder há 20 anos, somente, seria possível, a oposição unida. Conceito considerado lógico, tomando como espelho as derrotas e as vitórias de Lula e Wagner. Em seu discurso Carlos Martins, apesar de chegar bem junto à classe política como pré-candidato, mostrou sua humildade, além de convocar todos os pré-candidatos da base aliada do governo, alertou a todos os partidos considerados de oposição ao governo Municipal, não se iludam, separados não somos ninguém com capacidade de ganhar deles, portanto, mesmo com a união da oposição, temos que ir buscar alguns dos descontentes com a situação. Vamos fazer um pacto. Cada um continuar com o seu trabalho político-eleitoral e lá na frente, através de uma pesquisa, quem melhor pontuar será o candidato apoiado pelos demais.

Teoricamente, todos saíram da festa do PSB falando a mesma linguagem política. Porém, não demorou muito para entenderem que Wagner não iria mandar Carlos Martins para Candeias, brincar de fazer política. Marcus Vinícius foi o primeiro. Fez uma festa bonita e depois cruzou os braços. Recentemente, encomendou uma pesquisa foi pra se vê ou vê os outros. Ele sabe jogar e não ficará fora do jogo nunca.

Até a prefeita Maria Maia, que não é de se incomodar com adversários, tratou logo de segurar seus liderados. Basta lembrar que Marcus puxou cerca de uns dez aliados da máquina e escreveu como filiados do PSB com direito a autdoor espalhados pela cidade. Só de Zé, uns cinco tinham bandeados a exemplo de Zé do cinema, Zé 21, entre outros que tiveram que voltar para não perder a “boca” na “vaca amarela”.

Deputado Isidório está fazendo um jogo difícil de acreditar. Arregimentou Jair, Bobó e Georgem para criar o G-4. Ora! A primeira dama do estado, dona Fátima é fã e madrinha da Fundação Dr Jesus, Wagner não se cansa de elogiar o trabalho social de Isidório com os drogados, o governo federal e estadual é cúmplice do projeto com convênios. Veja se Isidório vai ter cacife para brigar com dona Fátima e Wagner para criar embaraços para a campanha de Carlos Martins. Eu quero é prova!

Bobó foi o primeiro a desconfiar da pré-candidatura de Carlos Martins, contava com o apoio do PT de Candeias a sua candidatura. Pode até conversar com Carlos Martins, porém, sem pressão ou imposição. Georgem está em um partido que seus dirigentes municipais jogam profissionalmente, não entram em jogo por brincadeira. Portanto, se a “Ficha Limpa” não pegar Tonha e Maria não for cassada como muitos profetizam. Só será possível um prognóstico de favoritismo, após as convenções partidárias. Enquanto isso, Carlos Martins vai comendo pelas beradas.

 

 

Publicado em 13/03/2012 ás 00:50

Leia Também
 

 
 
 
Empresa de Editorao de Jornais e Revistas Ltda-Me Todos os Direitos Reservados.
Rua do Pass, n 114, Andar 1, Centro- CEP: 43.805-090
Candeias - BA
Fone: 71- 3601-9220 / 71- 98633-1278 /
Email: folhareconcavo@gmail.com