Quarta , 21 de Fevereiro de 2018
 
Coluna de Átila Santana
 

Um pouco da nossa história

 A origem do município de São Francisco do Conde remonta à construção de um engenho, à foz do rio Sergi-mirim, em terras de sesmaria concedidas pelo terceiro Governador Geral do Brasil, Mem de Sá a Fernão Rodrigues Castelo Branco, em 1561, e que por sua morte passaram a pertencer a sua filha D. Filipa de Sá, casada com D. Fernando de Noronha Linhares, conde de Linhares. As terras foram batizadas de Sítio de São Francisco.

Na primeira metade do século XVII, os frades franciscanos fundaram o primeiro convento num lugar denominado Marapé, a uma légua da povoação, mudando-se, em 1629, para o local onde se encontra atualmente a cidade, em terrenos que lhes foram doados por Gaspar Pinto dos Reis e sua mulher.

Por Carta Régia de 27 de dezembro de 1693, foi determinada a criação de Vilas no

Recôncavo Baiano, cabendo a D. João de Lancastre fundar, a 27 de novembro de 1697, a vila que tomou o nome do São Francisco da Barra de Sergipe do Conde, em homenagem ao proprietário e ao padroeiro das terras, cuja instalação se verificou a 16 de fevereiro de 1698. A Vila de São Francisco da Barra do Sergi do Conde teve assinalada participação nas lutas da Independência do Brasil na Bahia. O Tenente-coronel Comandante Joaquim Ignácio de Sequeira Bulcão, natural do Município e primeiro Barão de São Francisco, é mesmo cognominado "Patriarca da liberdade baiana".

Em 1859 foi fundado pelo Príncipe Regente d Brasil, Dom Pedro , o Imperial Instituto Baiano de Agricultura (IIBA ), e visando dar novo fôlego à economia açucareira do recôncavo, foi criada 1877, a Escola Agrícola da Bahia (EAB), sendo essa a primeira Escola superior de Agricultura da América Latina, no antigo Engenho São Bento das Lages. A escola oferecia moradia para professores e alunos, além de abrigar no prédio museu, biblioteca e laboratórios. Sua formação era dividida em elementar para instrução de lavradores e regentes florestais e o supletivo para formação de veterinários e engenheiros agrônomos. Em 1904 é decretado o fim do IIBA, que a partir de 1905 passa para Instituto Agrícola da Bahia. 38 anos depois, mais precisamente em 1943 é criada a Escola de Agronomia da Bahia, em Cruz das Almas. Mais uma mudança, e em 1968 a Escola de Agronomia passa para responsabilidade da Universidade federal da Bahia (UFBA). Hoje antiga Escola Agrícola, está em ruínas, no bairro São Bento.

No Município nasceu também o sábio geo-estatístico Dr. Mário Augusto Teixeira de Freitas, idealizador e fundador Instituto Nacional de Estatística, hoje Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), um dos maiores jurisconsultos que o mundo já viu.

Em 30 de março de 1938, a Vila de São Francisco da Barra do Sergi do Conde foi elevada à categoria de cidade, pelo decreto estadual n° 10.724. Contudo, mesmo após a Emancipação Política continuou a se chamar São Francisco da Barra do Sergipe do Conde, mudando a nomenclatura para São Francisco do Conde pelo decreto estadual nº 141, de 31 de dezembro de 1943.

É difícil, muito difícil resumir a história da “Pérola do Recôncavo”. São Francisco do Conde está completando 75 anos de Emancipação Política, mas de Sítio a Cidade são 452 anos de história. Uma história carregada de curiosidades. Uma história construída com a força do nosso povo.

 

Salve São Francisco!!!

 

Átila Santana é radialista.

Twitter.com/atilasantana

Publicado em 27/03/2013 ás 11:11

Leia Também
 

 
 
 
Empresa de Editoração de Jornais e Revistas Ltda-Me Todos os Direitos Reservados.
Rua do Passé, nº 114, Andar 1, Centro- CEP: 43.805-090
Candeias - BA
Fone: 71- 3601-9220 / 71- 98633-1278 /
Email: folhareconcavo@gmail.com