Terça , 20 de Fevereiro de 2018
 
Coluna de Marli Gonçalves
 

BOTARAM ALGUMA COISA NA ÁGUA?

E não foi só na caixa dágua de uns e outros. Deve ter caído alguma coisa nos reservatórios. Nas represas, lagos, rios, oceanos. Melhor, deve estar caindo do céu, junto com a chuva. Não tem chuva ácida? Então: tem água drogada também. Daí a loucura estar generalizada. Água todo mundo usa. Ou bebe.

Bom dia, Cinderelas! Após muito pensar, livre pensar, como diria nosso Millor, chego a uma conclusão um pouco devastadora, mas perfeita para entender como é que se pode explicar tantas coisas tão fora da ordem, ou nervosas, ou calmas demais onde não deviam estar. Ou, ainda, esse climão geral de desentendimentos, de Fla x Flu; a apatia diante de desmandos. Gente que a gente jamais pensaria anda dizendo coisas que nem nos nossos piores pesadelos imaginaríamos. E gente que a gente achava oÓ, ao contrário, aparece dando aula de bom senso. Quem devia ser contra anda a favor, e vice-versa.

Não tem tantas teorias conspiratórias rodando nas redes sociais? Pois acabo de lançar mais uma.Vocês ainda duvidam que botaram alguma coisa na água? Ou que algum movimento estelar sideral aliado à passagem dos cometas com o aquecimento global e desmatamento da Amazônia tenha transbordado algum pote de uma nova drogueta, vinda lá do céu? Ou - também pode ser, hein! - o efeito estufa causando alguma ebulição do centro da Terra fazendo borbulhas, que emergem como pororocas? Depois, não esqueça, devemos buscar explicações mais detalhadas a esse respeito. 

Mas agora, antes, temos de chegar juntos a esta mesma conclusão, até para tomarmos providências possíveis para curar tanta insanidade: botaram ou está caindo alguma coisa na água. Aí ela se espalha,pelos chuveiros e torneiras, inclusive quando a gente toma banho e parece que atinge bastante a cabeça. Nossa presidente, inclusive. Outro dia, de maluca, andou juntando crianças e cachorros num discurso lamentável, já nos anais para estudos psicológicos. Não foi a primeira vez que ela conseguiu ser ininteligível.

Vocês, por favor, não pensem que estou me excluindo. Não! Estou é prestando ainda mais atenção às minhas próprias reações, me colocando como cobaia antes que algum maluco resolva catar bichinhos, cachorros, gatos, ratos e trancafiá-los (seria tão bom se as pesquisas pudessem avançar com a utilização única e exclusiva de baratas! Garanto que nenhum ativista iria libertá-las). 

Ando atônita. Tenho vivido dias que, sinceramente, se pudesse ficar enroscadinha na minha caminha, resguardada, não sairia dali por nada. Primeiro para descansar um pouco que ando precisando; mas também porque meu precioso sono tem sido abalado, e não é só pelos descalabros da casa noturna do lado de casa sobre a qual ninguém toma providências. Tem uma tensão no ar, que sei que os sensíveis estão também captando. Chego a pensar, e vocês vão rir, que, se não é a água pode ser, então, a internet, insidiosa, infiltrando-se, literalmente pelos fios, ou por Wi-Fi.

Levem em conta essa opção também. Tudo pode ser culpa da internet.Trabalho com comunicação, o que me faz percorrer o dia todo lendo esses meandros cibernéticos a cada dia mais sofisticados. Não aguento mais ver pratos de comida desinteressantes. Não aguento mais ver gente se vangloriando em viagens e que dão a impressão que só viajaram para poder...fotografar pros outros! Não aguento mais frases feitas e ver gente acreditando em saci-pererê, indiozinhos sendo enterrados vivos e outras patacoadas que bastava um pouco de lógica para ver que são bobagens, simplesmente bobagens. Outro dia vi uma jornalista defender durante horas - e junto a gente séria,que coragem! - que o 11 de setembro, na verdade, verdadeira, não foi obra do Al-Qaeda, não. Poupem-me de dizer quem ela acha que aprontou aquilo que, também, segundo sua tese, não foi bem assim - inclusive os aviões que atravessaram o prédio...Dá vontade de xingar. Torra qualquer paciência.

Por essas e outras, para poder - olha só - perdoar, cheguei à conclusão que é a mais democrática.

É a água, sim, senhor. Botaram alguma coisa. Ou caiu alguma coisa nela.

 

Publicado em 21/10/2013 ás 11:18

Leia Também
 

 
 
 
Empresa de Editoração de Jornais e Revistas Ltda-Me Todos os Direitos Reservados.
Rua do Passé, nº 114, Andar 1, Centro- CEP: 43.805-090
Candeias - BA
Fone: 71- 3601-9220 / 71- 98633-1278 /
Email: folhareconcavo@gmail.com