Terça , 20 de Fevereiro de 2018
 
Coluna de Marli Gonçalves
 

INSINCERIDADES E SINCERICÍDIOS.

Pode ser o maior trubufu da história, caída ou caído. Ou um bebezinho todo enrugado recém nascido. Talvez um vira-lata estropiado. Postou uma foto no Facebook ou outro desses lugares e não dá dois segundos começa a enxurrada de interjeições iguais ou similares ou genéricas. Linda! Lindo! Lindésima! Lindão! Lindona! Que bonitinho! Tem variações como "cada dia melhor, hein?", entre outras frases que, certamente, nem a pessoa-alvo está gostando de ler porque sabe mesmo que é mentira. E que, de verdade, está só descobrindo um puxa-saco.

Impressionante. A cada dia fica mais claro que, se proibidas forem algumas expressões, a internet e as redes sociais acabam. Minguam. Desidratam. Ficarão sem assunto. Não precisa nem de marco civil, militar, controle não sei mais de quê. E se cobrassem, então, por essas palavras? Tem quem iria ficar na miséria. Se apitasse cada vez que alguém escreve algumas destas letrinhas ou expressões seria ensurdecedor. Acho que para parar essa mania só espalhando que, cada vez que uma mentira dessas for postada, uma criancinha morrerá lá na África, ou crescerá uma verruga, ou aumentará o aquecimento solar. Só ameaçando.

"Linda (o)" e todas as suas variações - como bela, belíssima; kkkkkk e rsrsrsrsrs, para dizer que achou engraçada alguma coisa. E o "Bom Dia", então? Deve ter gente que não é capaz de cumprimentar o porteiro ou o vizinho dentro do elevador - mas dá "Bom Dia" na internet. Tem também o "Boa Noite" - falta só pegar a moda de falar "vou mimir" - Graças a Deus que pelo menos entre meus amigos ainda não li nenhum. Fora o beijo no coração, beijo na alma, em um monte de lugares não eróticos.

Outra coisa é a mania de postar foto da comida que está comendo. Cada comida besta, bife e arroz com ovo, de vez em quando até aparecem iguarias, mas para que eu quero ver? Muitas vezes a imagem só está querendo dizer que a pessoa "pode" - está comendo num restaurante caro em alguma quebradinha "exclusiva" do mundo. Alguém conta para as pessoas que alimentos são uma das coisas mais difíceis de fotografar e de sair bem na foto? Precisa ser profissional e, em geral, inclusive, utilizar de técnicas e produtos falsos para a produção, como massinha, gelo, luz, ângulo, gotas, etc. - coisa de quem vive do que está postando, por isso o faz bem quando faz, não é para qualquer um. Essa semana, no Instagram, uma conhecida apresentadora de tevê que anda babando e poetando em cima do seu bebê postou uma foto de um copo cheio de um negócio que, sinceramente, parecia vômito, meio bege. O copo também era daqueles de bar, feioso, de geleia. "Suco do dia: polpa de morango, folha de brócolis, couve, blueberry, proteína de arroz, gengibre e capim-cidreira! A cor é feia mas o gosto é bom!" - dizia a legenda.

Bom apetite! - diria eu. Aproveite bem! Beba até o fim. Fosse fazer algum comentário, ainda diria: "Corajosa" ou "O que aconteceu com seu paladar? Foi a gravidez?", ou ainda poderia também perguntar "Está fazendo alguma promessa?" 

Se ver fotos de comida engordasse, estaríamos todos obesos. Na hora do almoço é pior, mas tem também a versão jantar, café da manhã e lanche da tarde. Sadismo explícito.

Fico a cada dia mais surpresa com a criação e desenvolvimento desse ambiente virtual. Na tevê, propagandas, concursos e informações importantes mostram como única alternativa o endereço da internet "para maiores esclarecimentos", "Saiba Mais", como se todo o mundo desse nosso tão desenvolvido país tivesse acesso. Computador, ao menos. Sinal de Wi-Fi. Smartphone. Do jeito que as coisas vão, nem radinho de pilha!

KKKKK. Na sua cara se é um dos que acham que "todo mundo" tem carro, e que "todo mundo" tem internet. Se nós que temos acesso, e até trabalhamos com isso, de vez em quando ficamos completamente vendidos e isolados por essas operadoras/provedoras e outras, digamos, "orras"... Imagino nos rincões como anda a coisa!

Aqui na megalópole São Paulo, entre as cinco maiores cidades do mundo, toda rica, poderosa, industrial, estamos sendo enganados todos os dias por governos, sejam tucanos, estrelados, socialistas, comunistas, coronelistas, qualquer um. Anunciam em grande estilo que várias praças e avenidas passarão a ter Wi-Fi gratuito, acesso livre, que estão criando não sei quantos postos de atendimento, que vão passar talco cheiroso em nossos bumbuns. Vai procurar! 

Um roteador funcionou mal e porcamente na Praça Dom José Gaspar - Biblioteca Mário de Andrade, a maior e mais importante do Estado, com placas. Pufff!Sumiu o sinal, sumiram as placas e ninguém viu, ninguém sabe, pergunta ali para aquele ali. E o tal ACESSA SP? Pufff também. Nem tchuns de satisfação. OuFeedback, como os empolados falam, com tom quase britânico.

Tudo isso para dizer uma coisa só: não acredite em tudo que escuta; não acredite em tudo que lê ou vê. Não acredite no que esses caras prometem. Mentem deslavadamente, ou omitem, digamos assim, os detalhes e condições. 

Vá se preparando para o ano que vem.

 

Publicado em 18/11/2013 ás 10:03

Leia Também
 

 
 
 
Empresa de Editoração de Jornais e Revistas Ltda-Me Todos os Direitos Reservados.
Rua do Passé, nº 114, Andar 1, Centro- CEP: 43.805-090
Candeias - BA
Fone: 71- 3601-9220 / 71- 98633-1278 /
Email: folhareconcavo@gmail.com