Segunda , 20 de Novembro de 2017
 
Variedades
Publicada em 22 de Outubro de 2017 ás 10:08:38

MPF: Ex-prefeito é condenado e ex-prefeita denunciada

Foto Reprodução

Anfrísio Barbosa Rocha pagou cerca de 75% do valor pactuado à empresa “Pilar da Vitória” para a construção de uma quadra, apesar de apenas 37,44% da obra ter sido executada

Piripá – A Justiça Federal condenou ex-prefeito Anfrísio Barbosa Rocha, a empresa Pilar da Vitória Construções Ltda. e seu sócio William Osvaldo Coelho Santos por desvio de verbas da Educação. Em 2011, os réus assinaram contrato que previa a construção de quadra poliesportiva no município com recurso do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), cuja obra nunca foi concluída.

Segundo a ação do MPF, de autoria do procurador da República Roberto D'Oliveira Vieira, apesar de apenas 37,44% da obra ter sido concluída, Rocha autorizou e realizou o pagamento de cerca de R$ 377 mil reais à empresa — cerca de 75% do total previsto no contrato. O contrato previa, ainda, que os pagamentos só poderiam ocorrer após cada etapa concluída da obra.

A sentença, de 28 de março, condena os réus por ato de improbidade administrativa (Lei nº 8.429/92) que causa lesão ao erário, devendo ressarcir integralmente o dano, calculado em R$ 186.179,02, que ainda deverá ser acrescido com juros e correção monetária. Também tiveram seus dos direitos políticos suspensos por seis anos, deverão pagar multa civil no valor de R$ 80 mil e estão proibidos de contratar com o Poder Público por cinco anos.

Em 2016, Anfrísio Barbosa Rocha já havia sido condenado por desvio de verbas do Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar (Pnate) em Piripá.

De acordo com o órgão, Tânia Marly Ribeiro Yoshida não quitou pagamento de ônibus escolares adquiridos com verba do FNDE

Conceição do Jacuípe – O Ministério Público Federal (MPF) denunciou a ex-prefeita Tânia Marly Ribeiro Yoshida por desvio de R$ 627.720,00 do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). O valor atualizado do dano chega a R$1.053.476,89.

Em julho de 2012, a verba — num total de R$1.240.591,00 — foi repassada para a prefeitura, conforme convênio firmado com o FNDE, para o Programa Caminho da Escola. O objetivo era a aquisição de cinco ônibus escolares. De acordo com a denúncia, de autoria do procurador da República Samir Cabus Nachef Júnior, a ex-gestora não efetuou pagamento de três ônibus adquiridos com os recursos do FNDE.

Conforme apurado pelo MPF, Yoshida pagou por apenas dois dos quatro ônibus adquiridos com a Bravo Caminhões/Man Latin América, e não quitou o veículo comprado da Marcopolo S/A. “Somados os valores dos veículos não pagos, tem-se a importância de R$ 627.720,00 — que, simplesmente, desapareceu das contas da prefeitura”, afirmou Nachef. De acordo com a ação, o montante repassado pela União foi sacado e transferido para outras contas da gestão municipal e, em seguida, destinado a terceiros.

O MPF requer a condenação da denunciada pelo delito previsto no artigo 1º, inciso I, do Decreto-Lei nº 201/67: “apropriar-se de bens ou rendas públicas, ou desviá-los em proveito próprio ou alheio”, classificado como crime de responsabilidade.

Folha do Reconcavo

Mais Notícias
Empresa de Editoração de Jornais e Revistas Ltda-Me Todos os Direitos Reservados.
Rua do Passé, nº 114, Andar 1, Centro- CEP: 43.805-090
Candeias - BA
Fone: 71- 3601-9220 / 71- 98633-1278 /
Email: folhareconcavo@gmail.com