Quarta , 21 de Fevereiro de 2018
 
Variedades
Publicada em 06 de Janeiro de 2018 ás 22:29:22

CAIXA DE PANDORA!!!

internet

 A vida sempre nos apresentará duas possibilidades: Ser feliz ou não, ir ou ficar, fazer ou não(...) apenas REduza os danos...

 

Por: Agostinho Costa (Escritor e Poeta)

 

A noite caiu, o vazio sorrateiramente nos rodeou, e ali estávamos conversando de tudo, porém nossos corpos nada diziam, permaneciam num silêncio inabalável que chegava a impactar o som do blues que vinha não sei de onde, talvez de algum lugar lá fora. Afinal, naquele momento o mundo resumia-se a nós e a tudo dentro daquela caixa. Olhei os seus lábios e o desejei como Eva ao fruto do jardim do Éden, porém, sei que naquele momento era de fato proibido – confesso que não entendo o porquê, só sei ou talvez não saiba o real motivo pelo qual você acabou de fugir pelo furo da fechadura me deixando aqui sozinho. Hoje APENAS UM OLHAR traz as consequências da caixa de Pandora.

Já não mais a noite nos rodeia, sua escuridão é desvirginada pelo amanhecer trazendo o sol, preciso desse calor para suar e me sentir de volta ao paraíso. Ele veio clarear, desvirginar o dia antes do dia, pois na minha pele ainda restava alguns resquícios da noite, então, você me deixou como cartas velhas em gavetas amarrotadas, por fim, mas, isso não me impediu de tomar sorvete sentado debaixo de um guarda sol, sentado ao sol. Logo, esses pensamentos me fizeram perceber que estava precisando sair de dentro dessa caixa de pandora e ganhar vida. Entretanto, não só saí, como deixei tudo sair. Descrever esse dia não posso, pois estaria descrevendo minha existência, e ela não para, mesmo sabendo que meu dia parou no silêncio do talvez, no quem sabe um dia, não sei, enfim, no vento fechando a caixa novamente. Então, na incerteza do estar dentro ou fora, do NÃO ou sim, me curvo ao sim é grito aos quatro cantos e saio desse meu mundinho.

Tudo mudou, coração bate mais forte, gargalhadas ao vento, sorriso lindo, amor de nuvens que se chocam, carros desgovernados pelas ruas de uma cidade do interior, última gota de água do chuveiro implorando para lamber o meu corpo, inevitável não dizer sim, pneus velhos que vencem corridas, a felicidade de quem chega, a alegria cantando alegria...alegria e ali está aquela caixa aberta como pernas de prostitutas no final de uma noite longa de labuta, e eu assustado por não saber se pego meus demônios e anjos e os coloco dentro de volta ou se toma atitude de ir e nem olhar pra trás. Afinal, a vida me inunda de frases gramaticais fora do contexto e nada faço a não ser rir.

Diria mais: Os acertos das nossas vidas dentro dessa caixa não mais se repetirão, porque em nossa atual situação aqui fora eles seriam erros. Me considero um vendedor de flores que não mais suporta o exalar do seu perfume. Enfim vou conhecer o mundo!

Preciso enxergar o novo, me permitir as coisas novas, me desprender de tudo que ficou no ano passado e seguir em frente sem olhar pra trás. Quero ser livre, ir em busca dos meus sonhos e se por algum motivo eles se tornarem pesadelos, estará valendo. O importante às vezes não é a conquista ou realização, mas tudo que você passou ou o que permeou nesse caminho para chegar ao ápice. Confesso que nesse caminho tudo é mais prazeroso do que apenas um segundo da vitória. Sou daqueles que sempre prefere as preliminares do que o êxtase do gozo final. Logo, fica uma dica, afinal não sou chegado a dá conselhos: Aproveite que você abriu sua caixa e vá pra o mundo de peito aberto, se liberte das corretes invisíveis, de tudo que te tranca nesse seu mundinho medíocre e parta pra vida, sempre vale a pena sair e desbravar o novo, mesmo que ele nos surpreenda de ambas as formas, sempre valerá a pena sair das sombras e correr riscos, e como diz sei lá quem, colocar a cara no sol. Entretanto, sua caixa foi aberta e dela saíram anjos e demônios, logo, vou finalizar fazendo referências ao meu grande amigo cantor e compositor Clemenceau. A vida sempre nos apresentará duas possibilidades: Ser feliz ou não, ir ou ficar, fazer ou não, e se por um algum motivo, nossas escolhas não forem as mais assertivas socialmente posto, tudo bem, não há condenação. Portanto é preciso estar atentos e fortes, no mais, o que nos resta é REDUZIR os DANOS.

 Então, siga sua caminhada fazendo rastos e invadindo plantações de girassóis. Se desconstrua, se reinvente, feliz ano novo, feliz nova caminha, feliz olhar novo, FELIZ TUDO.

 

Folha do Reconcavo

Mais Notícias
Empresa de Editorao de Jornais e Revistas Ltda-Me Todos os Direitos Reservados.
Rua do Pass, n 114, Andar 1, Centro- CEP: 43.805-090
Candeias - BA
Fone: 71- 3601-9220 / 71- 98633-1278 /
Email: folhareconcavo@gmail.com