Quarta , 21 de Fevereiro de 2018
 
Denúncia
Publicada em 23 de Janeiro de 2012 ás 00:37:22

Lula precisa de silêncio, nos dois sentidos

Por/ Adriana Araújo

Pra quem trata de problemas na laringe - desde uma infecção mais simples até um tumor - o silêncio costuma ser frequentemente prescrito pelos médicos.

Mas não é só desse silêncio que Lula vai precisar.

O que mais fez falta hoje nas redes sociais foi o silêncio do respeito.

Li e recebi, via Twitter e outras redes, comentários muito infelizes sobre a doença do ex-presidente.  Fiquei impressionada como as pessoas podem ser cruéis ao comentar sobre a doença de alguém de forma tão desumana. Não importa se presidente, ex-presidente ou um anônimo. Qualquer pessoa doente merece respeito. Sobretudo pacientes com câncer, doença que, apesar do avanço da medicina, fragiliza qualquer um que recebe esse diagnóstico.

A campanha que sugere que Lula vá se tratar no SUS - Sistema Único de Saúde - é de mau gosto, pra ser suave. Faltou respeito. Falta informação.

O SUS tem muitas falhas, temos muitas razões pra criticar o que não funciona. Mas Lula não merece ser o bode expiatório pra isso. Os comentários tem um tom de revanchismo eleitoral. É a crítica fácil, pronta, basta repetir, entrar no efeito manada "vamos bater no Lula" e pronto.

Nem Lula, nem o Brasil merecem. Minha mãe já usou os serviços do SUS para o tratamento de um câncer. Há cerca de dez anos, ela fez uma série de sessões de radioterapia pelo SUS - foi encaminhada ao serviço pelos médicos do hospital particular onde foi submetida a uma cirurgia para retirada do tumor.

O convênio pagou a cirurgia. O SUS complementou todo o tratamento de radioterapia. Confesso que minha família ficou bastante surpresa com a orientação do médico para que procurássemos o serviço público. Mas, exatamente como ele havia dito, foi a saída mais rápida e eficiente. E minha mãe, felizmente, está curada.

Não melhora o SUS a crítica infundada, sem conhecimento do que se passa nos hospitais públicos. Claro, há milhares de pacientes esperando por atendimento. E cada estado ou cidade tem sua realidade específica. Mas, em termos gerais, o paciente encaminhado para os serviços especiais como radio e quimioterapia tem prioridade.

Claro, pra ser encaminhado ao tratamento específico do câncer, aquele paciente vai precisar de exames. Isso complica muito o caminho. A carência por consultas com especialistas faz com que muitos pacientes graves fiquem tempo demais esperando pelo diagnóstico. E, muitas vezes, o problema não é a falta do médico especialista, mas de gestão. Casos mais simples que poderiam ser atendidos em clínicas médicas menores acabam sobrecarregando hospitais e clínicas de especialidades. Porque a clínica do bairro ou não existe, ou está lotada, ou não tem médicos.

Não sou nenhuma doutora no assunto. Mas o que escrevo aqui é o resumo do que já ouvi de muitos médicos renomados do Brasil. É essencial discutirmos como melhorar o sistema de saúde no país, como fazer com que o paciente do SUS tenha um atendimento mais humanizado e mais eficiente, mais próximo do que oferecem os hospitais particulares de excelência. Discutir esse assunto de forma responsável é uma tarefa nossa, de cada cidadão, e uma obrigação de qualquer homem ou mulher com cargo público, com vida política ativa nesse país.

Mas não vai ser atacando o ex-presidente que vamos chegar a algum lugar.

A turma que diz "Lula vá se tratar no SUS" também costuma berrar pra não pagar tantos impostos. Sem discutir profundamente como financiar a saúde.

Lamento os comentários que li.

E lamento que o remédio que faltou hoje - o silêncio em sinal de respeito - não possa ser prescrito por doutor algum.

Sugestão de pauta

Mais Notícias
Empresa de Editoração de Jornais e Revistas Ltda-Me Todos os Direitos Reservados.
Rua do Passé, nº 114, Andar 1, Centro- CEP: 43.805-090
Candeias - BA
Fone: 71- 3601-9220 / 71- 98633-1278 /
Email: folhareconcavo@gmail.com